quinta-feira, 22 de junho de 2017

E FOI ASSIM...




E FOI ASSIM...
Nos sótãos d’alma, desfeitas ilusões.
Chorosas madressilvas fragrância de antiga paixão exalam_ exasperadas sombras a perseguir-me_.
Segredos ao sol poente -_castas saudades docemente suspiram…

_Frementes vozes nas escarpas da solidão rugindo – a sofrer, a sentir, a sonhar…_
Marilândia

SONO DO INFINITO




SONO D´INFINITO
Em eternos fluxos e refluxos, sono d´ínfinito desperta.
Clarões de puros gozos dentre pântanos de névoas - a medrar, a vicejar...
Peregrinos fantasmas em irônicos gargalhares, o horizont´eterno rasgando...
Rumorejam os astros - presságios de luminosas noites das loucas trevas emergindo.
Em incandescentes solilóquios, cordas do passado choram - inconscientes turbas d´agonia...

_Agitados ramos fragrâncias florais reverenciam - são perdidos olhares, irradiando o fulgor das violáceas madrugadas._
Marilândia

ENLEVO




Enlevo
Tombando
Dentre desolados caminhos,
Dobram as horas 
A resvalar pro in_finito...

“E a vida, em cálida poesia”
Enclausura mistérios
_histórias que o Tempo não revela_
“Como se fora uma paixão em alforria”
Que a longos tragos
Sorve a solidão...
Marilândia

quarta-feira, 21 de junho de 2017

COSTURANDO POESIA (HOMENAGEM À QUERIDA JÔ)







“Que com tanta alegria te enlaço...”
Jô Tauil

_________________
Mesmo 
Nas noites 
Em que o catavento é uma voz rouca,
E brama enfeitiçado...

Poetisa de geniais fantasias,
De fascinações vertendo suas áureas,
Com um rosto a chorar
E que à brisa se enxuga...

Mulher do amor com seu olhar febril,
Canta a alma do sol ardente
Enquanto no seu cálido peito
Ressoam os refrões dominicais
Espelhados nos sacrossantos Evangelhos
_preciosos grãos atirados pelo eterno Semeador..._

Assim, 
O Divino acaso, ou a Virtude augusta,
Em seus solenes versos, trazidos pelo vento,
Repousa à luz do astro-rei , pálido e enternecido...

Marilândia

MOTE MOTIVO 101




MOTE 101
“Gosto dos venenos mais lentos!
Das bebidas mais fortes!
Das drogas mais poderosas!

Dos cafés mais amargos!
Tenho um apetite voraz.
E os delírios mais loucos
Você pode até me empurrar
de um penhasco
Que eu vou dizer:
E daí? Eu adoro voar!”


Clarice Lispector
______________________

ALDRAVIA

in_sondáveis
loucuras
arrebatam-me
as
lânguidas 
quimeras

Marilândia

Presente da Jó em versos



MOTE MOTIVO 101



MOTE 101
“Gosto dos venenos mais lentos!
Das bebidas mais fortes!
Das drogas mais poderosas!
Dos cafés mais amargos!
Tenho um apetite voraz.
E os delírios mais loucos
Você pode até me empurrar
de um penhasco
Que eu vou dizer:
E daí? Eu adoro voar!”
Clarice Lispector

ALDRAVIA

dentre
luxuriosos
desejos
insinuantes
tentações
emergem

Marilândia



OS MAIS BELOS SONHOS




OS MAIS BELOS SONHOS
_________Sonhos! 
Que à vida dão tenaz matiz...

Do infinito
___________Ao próprio infinito, 
Realidade
Em meras fantasias …

_________Liras... sem cordas
Des_ florida Primavera
_________Acordes levados___ pelo vento...

Estilhaçados versos dum poema que não foi escrito...
Marilândia

HAIKAI




Haikai
Plácido florescer
Natureza em festival 
Sublime deslumbre
Marilândia

COSTURANDO POESIA




“Alma transpira... exala!”
Iza Klipel

_______________________

Quais os  salmos dos celestiais Evangelhos
Ao exalar incensos vagos, cânticos de amor,
Enquanto das almas sobem perfumadas neblinas
De cálidos aromas, iluminada pureza...

E,
Nessa essência virgem da beleza,
As auroras,o sol, pássaros, rosas
Num brilho de estrelas cristalinas,
Dentre céus imensos anilados
Hasteiam  pavilhões nos azuis das madrugadas...




Marilândia

FANTASMAS DAS SAUDADES




Fantasmas das Saudades

Em meus lamentos, todos os ais – inquietos sentimentos pelo mundo apunhalados…
In_definidas tristezas ao sabor das correntezas rompem os diques, desfilando arrebatadas, em nevoentos turbilhões.
Doridas mágoas, outrora calmas e serenas, esbatem-se como melancólicas folhas esparsas ao vento…
Dói-me a´lma – choram-me as entranhas – foram-se os sorrisos das primaveras…
_Delirantes, exaurem-se em mim visionários espectros das saudades…
Marilândia

ATURDIDO DESLUMBRE




ATURDIDO DESLUMBRE
Conforme
________Ardem nos céus, 
________Desgrenhadas palavras
________Em apagados versos,
Acenos de miragens
Murmuram desejos
Na carne da paisagem...

_________Em negras
_________Noites de mistério,
Enquanto
_________A Lua sombreia (in)quietações,
Talvez já se apaguem as ilusões
__________Dentre as ramagens da Natureza,
Gorjeando sobre os limos …

Marilândia

terça-feira, 20 de junho de 2017

COSTURANDO POESIA







“Grão dos teus verbos !... Raiz dos teus pronomes!”
Jô Tauil

Quais os  salmos dos celestiais Evangelhos
Ao exalar incensos vagos, cânticos de amor,
Enquanto das almas sobem perfumadas neblinas
De cálidos aromas, iluminada pureza...

E,
Nessa essência virgem da beleza,
As auroras,o sol, pássaros, rosas
Num brilho de estrelas cristalinas,
Dentre céus imensos anilados
Hasteiam  pavilhões nos azuis das madrugadas...



Marilândia

MOTE MOTIVO 101





MOTE 101
“Gosto dos venenos mais lentos!
Das bebidas mais fortes!
Das drogas mais poderosas!
Dos cafés mais amargos!
Tenho um apetite voraz.
E os delírios mais loucos
Você pode até me empurrar
de um penhasco
Que eu vou dizer:
E daí? Eu adoro voar!”

Clarice Lispector
______________________


REBELDIA


Sangrando em riso, desdenhosamente,
Porém
Num torpor de coma,
Embalsamada pela lentidão desses venenos,
Eis que assim não existe a convulsão da Vida...

E,
Meditando essas visões
Que minh’alma invadem
Num mortal isolamento,
Tudo se envolve numa amarga singularidade,
De Dor, De Saudade, De esquecimento!

Marilândia




ALDRAVIA



Aldravia

serpenteiam
nas
auriverdes
ramagens
entreabertas
doçuras
Marilândia

INDAGAÇÕES





Indagações
Pétalas de rosa
________Ou luar em pétalas?
________Sóis ao infinito
Ou paisagens em cânticos?
Marilândia

IRONIAS




Ironias

Embalados em memórias de amor
Contrários
Têm formas tão diversas,
Lembrando
Planura sob várias luas...
“No contrário que há em mim”
Desejos vagos, errantes,
Porque encontrei
‘Na derrota algum motivo para lutar”...

Porém,
Descobri
Que junto à Morte
É que floresce a Vida...
Marilândia

COSTURANDO POESIA




“Deixando marcas eternas...”
Jô Tauil
_______________________


Nas almas, em silêncio, contemplando,
Atrás de um belo mundo in_definido...

Vivendo numa oculta florescência
Ficam a cismar, enternecidamente...

Quanta volúpia,
Quantos anseios, tantos!

Deslumbramento de luxúria e gozo
Porquanto,
Corações revivem a orgia das Paixões...

Marilândia

segunda-feira, 19 de junho de 2017

MOTE MOTIVO 101




MOTE 101
“Gosto dos venenos mais lentos!
Das bebidas mais fortes!
Das drogas mais poderosas!
Dos cafés mais amargos!
Tenho um apetite voraz.
E os delírios mais loucos
Você pode até me empurrar
de um penhasco
Que eu vou dizer:
E daí? Eu adoro voar!”

Clarice Lispector
_______________________

“ADORO VOAR”

Às vezes,
Haurindo os venenosos sucos,
Num “apetite voraz”,
Ébrio dos vícios plangentes,
Que ressurgem dos mistérios da luxúria,
Enquanto
Gargalho num riso de tormenta...

Assim,
Em macabras piruetas,
E  dentre delírios mais loucos,
 “Cada um de nós carrega sua história”...

Marilândia


POEMINI




POEMINI
Aveludada relva
Sonhares asila..

Marilândia

MOTE MOTIVO 101





MOTE 101


“Gosto dos venenos mais lentos!
Das bebidas mais fortes!
Das drogas mais poderosas!
Dos cafés mais amargos!
Tenho um apetite voraz.
E os delírios mais loucos
Você pode até me empurrar
de um penhasco
Que eu vou dizer:
E daí? Eu adoro voar!”
Clarice Lispector
_______________________________

"E DAÍ?"
“Tenho os delírios mais loucos”...
Alma, de que a amargura tece o hino,
-----------------A sofrer!
__________A suspirar!
__________A sentir!
__________A clamar!
__________A sonhar!

Com estranho brilho,
Com fervores vários,
A cada instante
Flameja o coração...

E dentre 
Etérea chama de conquistas magas
Vai abafando as queixas implacáveis 
Pelos pélagos sombrios...

Marilândia

GRITOS DA ALMA




Gritos da Alma
Debruados sob encanto
______Nos fogachos da poesia...
Frente à crueza da vida,
_______Se eu me morrer
_______De amores,
_______Atenta à saudade 
Em tuas entranhas,
Silenciosa e branca 
_______Qual espuma,
Cerrando os olhos
_______A dormir...
______ Dormir longe de tudo
Como naturezas mortas recobertas de flores...
Marilândia

ALDRAVIA




ALDRAVIA
Nas
Asas
Do
Desalento
Vão-se
Sonhos...

Marilândia

INTERROGAÇÕES




Interrogações
Tentando definir 
O que nem mesmo eu
Compreendo,
E sem já mais nada
Para mim florir,
Viverei
Apenas das nostalgias,
Quais sombras dos outroras,
Brancas e sinistras,
Dentre clarões
Dos tenebrosos círios...
Marilândia