sexta-feira, 25 de maio de 2018

MOTE MOTIVO 136





MOTE 136
“SE QUISER”
Tânia Mara
_____________________
FREMENTES DESVARIOS

“Amor é estado de graça”
“Mas seu medo de perder
Não te deixa me olhar...”

Ao pensar em ti, 
Tenho tantos desvarios
_volúpias, seduções, encantos feiticeiros...

Sinto da noite o isolamento extremo
E em busca de ti, por vastidões in_certas,
Revivo emoções de quem medita e chora...

E,
Nesse desejo errante,
Embebedado por sinistras ilusões
Minha alma naufraga
Em divino e fremente sorvedouro!

Marilândia

MEIAS VERDADES




Meias Verdades
Num perfil de meias verdades,
Retratadas por um poeta
Em alucinante olhar,
Transformando mistérios
Dum coração amante...

Excelso poemar
Em penitentes sussurros,
Dentre desatinadas e viandantes sinfonias...

Marilândia

ESSÊNCIAS DO CÉU



ESSÊNCIAS DO CÉU
"Mãos tocando o infinito"
Sob um luar sempre calado,
Brando luar das ilusões terrenas
A resplandecer nas "gotas de saudade"
Trazidas pela chuva que "chovendo chora"...

Marilândia

quinta-feira, 24 de maio de 2018

MOTE 136






MOTE 136
“SE QUISER”
Tânia Mara
_____________________

DES_ORDENADAS PALPITAÇÕES
Exaurem-se os sonhos
Dormitam lembranças...

“Nem precisa me chamar
Tão perto que eu estou...”

E enquanto
Se vão todos,
Des_ordenadas palpitações
Em aveludadas luxúrias
Aplacam insanas, pecadoras tentações...

Marilândia

COSTURANDO POESIA





“Marca fatal do meu destino!”
Jô Tauil
_______________

Gerada nas estrelas impassíveis
Na luz de eternos sóis glorificada!

Triste pela in_grata sina,
Imbuída em trevas e silêncios
A angústia me domina,
Sem segredos, sem eco e sem gemidos...

Minha alma lembra um mundo in_acessível,
Porém,
 Vem o esquecimento e enxuga o pranto...

É esse apenas o consolo amargo
Dum inferno sinistro que flameja e freme...

Marilândia

quarta-feira, 23 de maio de 2018

COSTURANDO POESIA







“Que nestes versos por tão leais
Intenso deveras se adivinha...”
Miguel Eduardo Gonçalves
___________________________

Porquanto
Sempre fechados à chave do mistério...

E,
Percorrendo as entranhas mais sombrias,
_Ó Refúgios ternos, piedosos_,
Sempre me pungindo e me vencendo,
Rasgados de ridículos sarcasmos...

Dessarte,
No fundo coração dilacerados,
Ó dores, ó delírios, ó martírios latentes!

Marilândia



MOTE 136




MOTE 136
“SE QUISER”
Tânia Mara
________________________


ENCANTO IN_DEFINIDO
Dos sóis gerados nos febris carinhos
Traços in_definidos, vagos traços
Tens o divino olhar de Madona pensativa...

Nesse encanto secreto,
Para que nosso amor desemprenhe a Poesia,
“Me deixa ser real
E te ajudar a ser feliz”,
Como a se recolher doce agradecimento...

Marilândia