domingo, 25 de agosto de 2019

COSTURANDO POESIA





“Mas depois perdeu-me...”
Jô Tauil

Indo estrelar todo o Infinito de almas...

Almas lendárias, almas peregrinas, almas misteriosas,
Almas sagradas  que faziam do Amor eterno abrigo...

E,
Numa divina irradiação dos sentimentos
Em augusto , ungido pacto ,
Elas, no in_definido se compraziam,
Transfigurando o mundo
Como deusas, com os sonhos enflorescidos...

Marilândia

COSTURANDO POESIA




“Nesta água estagnada onde estou...”
Jô Tauil
__________________

A sonhar em febris delírios
Recito em gestos flutuantes,
Sob eflúvios de graça e de ternura
O fascínio dos supremos versos
Que farfalham, chorando,
Quais pétalas se desfolhando sobre o Nada...

Marilândia

sábado, 24 de agosto de 2019

CERTIFICADO DE SARAU PRIMAVERIL



COSTURANDO POESIA



“Quando o meu futuro já virou poeira”
Jô Tauil

Ao mostrar as garras assassinas
De guerra, de flagelos , de ocasos de saudade...

E,
Sob a ilusão de mantos sanguíneos
Sombras vãs  de figuras bizarras,
Lembrando as noites de astros apagadas
Nas Esferas  transbordam, insólitas e vagas...


Marilândia

COSTURANDO POESIA (A REP)




“A primavera virá
Meu jardim florirá...”
Jô Tauil
__________________

Pois há tempo de rosas
E de lírios também!

Assim,
Num corolário de saudades
Em que a paisagem dispara,
Vicejam em mim, soturnas e clamorosas
Esperanças regidas pelos vaivéns,
Quais as cordas vivas dos violões suplicantes...

Marilândia

FORMOSURA DA PAISAGEM (a rep.)




FORMOSURA DA PAISAGEM
Enquanto a Lua caiada
Se oculta dentre as negras nuvens
Numa languidez fugitiva,
“Cantar e cantar e cantar”
Embriagados pela formosura da paisagem,
Esquecidos das abstratas angústias dos dias cinzentos!

Marilândia

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

COSTURANDO POESIA (A REP)

“Se as feridas da tua alma sangram
Crê! As minhas não torturam menos!”
Jô Tauil
__________________

Porém,
Arquiteta de fantasias
In_diferente, taciturna,
Dentre melancólico exílio
Sempre fechado à chave do mistério,
Caminho, a perguntar, em vão, 
A tudo,tudo,
Onde é que se enterra uma alma dilacerada!

Marilândia