quarta-feira, 31 de agosto de 2016

MOTE MOTIVO 36




MOTE MOTIVO 36
"Tocando em frente"
Almir Sater
__________________






SEMPRE SONHANDO...


Sem pressa ,
Sem regresso,
Sob o céu estéril dos des_esperados,
Nesta ansiedade que me sepulta o peito,
Pelos caminhos do in_finito eleito,
Sigo, ensimesmada,
E tudo vejo dos encantos raros...



Marilândia

COSTURANDO POESIA




"E dependurou-me sobre a vida...”
Jô Tauil
______________


Embora
Nem o céu fosse o limite,

Apesar 
De que nos seus braços morassem as esperanças
Debruçadas nos desenhos,
E
Dentre
Olhares perdidos no vazio...


Outrossim,
Entrelaçadas em vasos de cristais,
Pintando épocas e epopeias,
A tingir as fímbrias dégradé do in_finito,
Tênues sombras
Refletidas nos vitrais de áureas quimeras,


A desmanchar diáfanos instantes de nostalgias...

Marilândia

MOTE MOTIVO 36






MOTE MOTIVO 36
"Tocando em frente"
Almir Sater
______________

INTERROGAÇÕES
“Não sei se andei depressa demais
Mas sei, que algum sorriso eu perdi...”,
Sentimentos servem de atalaias,
Adentram
In_cessantemente no silêncio d’alma,
Perante o pasmo do sombrio martírio
E,
Alma por alma,
Em toda a parte vicejam...


Mas essas mesmas algemas de amargura
Por sóis, 
Por belos sóis alvissareiros,
_aquarelas em profusão_
Guardam belos segredos
Ferrenhamente entumecidos...

Marilândia

MOTE MOTIVO 36





MOTE MOTIVO 36
"Tocando em frente"
Almir Sater
_________________


“ASSIM CAMINHA A HUMANIDADE”
Tudo florindo e fecundando,
De encanto se reveste,
Rebentar em estrelas de ternura...

“É preciso paz pra poder sorrir,
Conhecer as manhas
E as manhãs”...

É preciso
Conhecer da vida
Troféus dourados das vitórias,
Acendendo luzeiros para as trevas...


É preciso conhecer
Risos e prantos,
Venturas e des_venturas
“E ir tocando em frente”,
Levando o sacrário de desafios,
No dia a dia vividos...



Marilândia

terça-feira, 30 de agosto de 2016

MOTE MOTIVO 36

MOTE MOTIVO  36
“Tocando em frente”
Almir Sater
________________

AMARGO CONSOLO

Com cabelos embranquecidos
Tenho o bálsamo para as feridas,
Numa derradeira jornada
De minha lonjeva trajetória...

“Hoje me sinto mais forte
Mais feliz, quem sabe”....

O Esquecimento vem
E enxuga o pranto...

Ganha outra graça,
Forma, formosura
Para guiar as multidões errantes,
Que caminham trêmulas, vacilantes...

Marilândia

 

TRIPLIX

TRIPLIX



COSTURANDO POESIA




“Se quiser, cante comigo...”
Jô Tauil
____________

Posto que é Paz
E reluz
Nos corações predestinados,
Enquanto o manto negro da noite
Não chega trazendo suas trevas...

E quando
As esferas da Ilusão,
Feitas das rosas brancas das quimeras,
Transpõe,
Su’alma lembrando
Um mundo in_acessível,
Emudece, dentre visões augustas
Num sentimento mais sutil que a própria Morte...

Marilândia




MOTE MOTIVO 36




MOTE MOTIVO  36
Almir Sater
____________
CAMINHANDO...

Em longas noites em claro, insones,
O Tempo dissipou-me  os açoites
Lembrando-me de que  em cada chibatada,
_nas lágrimas que dos meus olhos verteram_
O Bem Supremo de esquecer o mundo
Floresce para a Fé, para a Beleza...

Agora,
“Ando devagar
Porque já tive pressa
Porque já chorei demais...”


Marilândia

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

COSTURANDO POESIA






“Insensatez que perdura! Vício...”
Iza Klipel
________________

Na tela pálida de cores
Sob ideais que se perdem


Porquanto,
Na cadência do Tempo
Descansam serenas 
Dentre plenitude do silêncio,
Num ritmo cálido ,lento
Matizes, nuances de tons
Que se esparzem
Em amálgamas de fantasias, introspectas magias...

Marilândia

MOTE MOTIVO 36




MOTE MOTIVO  36

"Tocando em frente"
Almir Sater
________________


VIDA QUE SEGUE

Destravando medos,
Deixando adentrar no seio
Raios do astro-rei,
Eternizando o amanhã,
Nas páginas da história...

E
Nos atalhos da vida
Em ondas desenhadas a giz,
Cavalgar, errantes,
Para “ conhecer as manhâs”
Dentre caminhos certos e incertos
Em rituais da passagem...


Marilândia



DESESPERO MUDO


DESESPERO MUDO


Tanto tempo, tanto...
Tantos momentos,
Tantos dias,
Martirizantes in_certezas,
Tantas...

E aqui sozinha, ansiosa,
Te esperando,
Como a saudade de agitado lenço,
Os segredos, mistérios
 Dos longes
Procurando...

Marilândia

COSTURANDO POESIA



“Nada tenho de engraçado nem de sério”
Jô Tauil
____________

Pois,
Em longas noites em claro, insones,
O Tempo dissipou-me  os açoites
Lembrando-me de que  em cada chibatada,
_nas lágrimas que dos meus olhos verteram_
O Bem Supremo de esquecer o mundo
Floresce para a Fé, para a Beleza...


Marilândia

MOTE MOTIVO 36





MOTE MOTIVO  36
“Tocando Em Frente”
Almir Sater
_____________

ALÉM DOS SONHOS...

Meus sonhos então me embalam,
E em diáfanas redes
Os balanço
“Pra poder pulsar,”
Porque
“Todo mundo ama um dia”
Ao crepitar do fogo
E a queimar desejos
Numa paixão que alucina, devora...

Marilândia




MOTE MOTIVO 36




MOTE MOTIVO  36
“Tocando Em Frente”
Almir Sater
_________________

PELA VEZ PRIMEIRA

De um tenro coração
Que vem sorrindo,
Canto na paz in_finita
“E levo esse sorriso
Porque já chorei demais”

Assim,
Os dias sinistros e ermos do existir
Cairão num crepúsculo mortal
“Porque já tive pressa”
E desse viver pouco me lembrarei...

Recordarei, apenas,
As íntimas ternuras
Pois,
“Um dia a gente chega
E no outro vai embora....”

Marilândia






TRIPLIX



domingo, 28 de agosto de 2016

MOTE MOTIVO 36



MOTE MOTIVO 36
“Tocando Em Frente”
Almir Sater
______________



DOM DA FELICIDADE


Imbuídos de trevas e de silêncios
_angustiantes sentimentos duma vida sem vida_,
“Cada um de nós compõe a sua história”,
Ora interrompida pelos soluços 
Dos que nos amaram
Num cortejo de cânticos alados,
Ora nos quiméricos vendavais dos sonhos,
Numa visão consoladora da mocidade flórea...


Enquanto,
Segredos recônditos, acariciantes,
Se abrem em leques de ternuras,
Palmilhando sensações que não têm velhice
“A carregar o dom de ser capaz
E ser feliz...”



Marilândia

COSTURANDO POESIA





“Num primeiro de abril...”
Iza Klipel
__________________

O céu marchetado de estrelas
Povoa de esperanças
Noites e dias iguais
A buscar luzes que já se apagaram...

Não sei por que,
Magoados segredos
Despertando
Em extremos
Do horizonte in_findo,
Ressuscitam em mim,
Sonhos tantos, anseios,
Palpitações, desejos, ânsias
Engrinaldados de i_mortais loureiros...

Marilândia





COSTURANDO POESIA



“Para ser aceita como sou...”
Jô Tauil
_____________

Imbuída de trevas e de silêncios
_angustiantes sentimentos  duma vida sem vida_,
Ora interrompida pelos soluços dos que me amaram,
Num cortejo de cânticos alados,
Ora nos quiméricos vendavais dos sonhos,
Numa visão consoladora da mocidade flórea...

Enquanto,
Segredos recônditos, acariciantes,
Se abrem em leques de ternuras,
Palmilhando sensações que não têm velhice...

Marilândia






MOTE 35




MOTE 35
“SANGRANDO” – Gonzaguinha
____________________

ALDRAVIA

Dores
Que
Deveras
 Sinto
Sangram-me
Palavras...


Marilândia

COSTURANDO POESIA




“Para ser aceita como sou...”
Jô Tauil
_____________

Imbuída de trevas e de silêncios
_angustiantes sentimentos  duma vida sem vida_,
Ora interrompida pelos soluços dos que me amaram,
Num cortejo de cânticos alados,
Ora nos quiméricos vendavais dos sonhos,
Numa visão consoladora da mocidade flórea...

Enquanto,
Segredos recônditos, acariciantes,
Se abrem em leques de ternuras,
Palmilhando sensações que não têm velhice...

Marilândia





COSTURANDO POESIA




“Para ser aceita como sou...”
Jô Tauil
_____________

Imbuída de trevas e de silêncios
_angustiantes sentimentos  duma vida sem vida_,
Ora interrompida pelos soluços dos que me amaram,
Num cortejo de cânticos alados,
Ora nos quiméricos vendavais dos sonhos,
Numa visão consoladora da mocidade flórea...

Enquanto,
Segredos recônditos, acariciantes,
Se abrem em leques de ternuras,
Palmilhando sensações que não têm velhice...

Marilândia