terça-feira, 15 de agosto de 2017

COSTURANDO POESIA




“O que há muito teve fim...”
Jô Tauil
____________________


Sobe, numa volúpia dolorosa
Qual transcendente visão das lágrimas nascida...

Alucinando e em trevas delirando,
 Olhos estranhos dos eternos sonhos
Pelos quais tantas almas estremecem,
Só contemplam um luar de sacrifícios,
De angústias, de tormentas, de vertigens,
No caos da embriaguez e da cegueira...


Marilândia

POEMINI




Poemini
Espelhando a saudade
Vivas lembranças
Marilândia

COSTURANDO POESIA




“Lembrança! Dança que a saudade nos ensina...”
Iza Klipel
_____________________

E na minh’alma se asila
Na languidez fugitiva
D’alguma esperança viva!

Assim,
Numa dança macabra, in_definida,
A devorar os sonhos,
Quebrando os selos augustos dos mistérios,
Tudo se envolve nas neblinas densas
Doutras recordações, doutras lembranças...


Marilândia

ROMANCEIROS DO ALÉM





Romanceiros do Além
Ilusões pueris
Carcomidos segredos
Cortinas que se fecham...
Marilândia

ALDRAVIA





Aldravia
In_clementes
Des_venturas
Rasgam
Corações 
Eternizam-se
N’almas...
Marilândia

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

COSTURANDO POESIA



“Juntam pranto no meu pranto...”
Jô Tauil
___________________________


Tentando unir universos in_conciliáveis...

Sempre o poeta, entretanto,
A esta in_dócil saga,
Só e pensativo,
Entrevê melancolias,
Cifradas mágoas a espreitá-la...

Assim,
Nesses ritmos de forças
De graças mortas,
De torpores e de in_dolências,
Há no pranto amargo,
Um certo encanto
De harmoniosas almas que nas sombras tremulam...


Marilândia

NÃO MAIS QUE DE REPENTE...



Não mais que de repente...


De repente
Luze o fascínio 
Das noites
Que vivi acalentando...

Dentre momentos
Engrinaldados de saudades,
Transbordam as carícias dos segredos sepultados...

Marilândia

ALDRAVIA





Aldravia

Na
Fragilidade
Da
Vida
Indeléveis 
Cicatrizes


Marilândia

COSTURANDO POESIA




“No tempo do pensamento...”
Iza Klipel
____________________


Quando a gente ama
Num esplendor in_definido,
Desabrocham ensanguentadas rosas
Sob o mistério im_ponderável
Dum caminho enflorescido...

Quando a gente ama,
Tudo se envolve nas neblinas densas,
Debaixo de rubras ilusões...

E
Varando o céu de gritos,
Quando a gente ama,
Mágoas de amargos ais
Num misto de ansiedade,
Num misto de tortura,
Amortalham-se
No poente da saudade...


Marilândia

domingo, 13 de agosto de 2017

PARA SEMPRE






Para Sempre
Perdidas,
Perdidas na Imensidão,
Nossas almas 
Saciam toda esta sede...
Enquanto 
A grande paz,
A grande paz sidéria
Dentre constelado,
Sereno Firmamento,
Nossas almas trêmulas
_________Enlaça...


Marilândia

sábado, 12 de agosto de 2017

COSTURANDO POESIA




“Da minha saudade
 Estrelinha brilhante...”

Jô Tauil
______________________

Qual tocha da tarde,
Acendendo uma aurora...

Como resplandeces, peito enamorado!

Espectro feito de graça e esplendor,
Brilhas e abres tal uma flor!

E ,
Às vezes, ao verão,
Na hora em que o sol exangue
Adormece ao sopé duma colina,
Inspiras ao poeta, dócil amante,
Ternuras das quimeras ausentes,
Despontando emoções pelo tempo afora...

Marilândia

COSTURANDO POESIA




“É mão do acaso...”
Iza Klipel
_____________________



Nesse augusto quebranto,
Recordando e sonhando,
Como o Sol
Que entre névoas resplandece...

E
Todo o sonho castamente branco,
Tão brando e triste,
Que a minh’alma asperge
Em acariciantes bálsamos de pranto,
Recordam violáceas madrugadas,
Em clarões leves de saudade...

Marilândia

ARREBATAMENTO







ARREBATAMENTO
Sorrindo a céus
Que vão se desvendando,
Rasgas céus e terras, imensidades
Escravo dos mais puros sentimentos...


Como chamas que sobem
E que se apagam,
Numa auréola i_mortal de fantasias,
Desejos pairam nas almas,
Iluminando lânguidos rugidos...
Marilândia

ALMA FERIDA





Alma Ferida


Toda essa dor
Que na minh’alma clama
Canta os tédios,
As tristezas,
No chorar de trêmulos violinos...


Na volúpia carnal, alucinada,
Momentos e momentos soberanos
Têm ais de dor,
Inflamados por silenciosos beijos,
Dentre enlevos e deslumbramentos...


Assim,
Nos turbilhões da Imensidade,
Tudo se confunde,
Tudo se entrelaça,
Sob trágica, cruel ansiedade.


Marilândia

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

COSTURANDO POESIA





“Edificou sólida
            Felicidade...”
Jô Tauil
__________________

Assim,
Foi ali que vivi nas volúpias mais calmas,
Com as cores do poente a arder em meus olhares...

Assim,
No perpétuo suceder dos dias
Alimentando as ilusões,
Levando-me a febre ao delírio,
Os desejos sem sol atormentavam
_____________E excitavam...


Marilândia

CÂNTICOS EM FLOR






Cânticos em Flor
Céus de abril
Num etéreo
E mago encanto,
Com seus enleios
E graça,
Exalam
Cores da clemência...
“Não querem saber de dor”,
Eis que
Dançam
E cantam
Em círculos dantescos
Da beleza...
Nos êxtases
Dos místicos
Ressaltam
A Natureza,
Entoando
Cânticos em flor.
Marilândia

MOTE MOTIVO 109




MOTE MOTIVO 109
“ALEGRIA DE VIVER”
Nadja Ramalho
________________

SOBERBA ALEGRIA

...E a vida pede passagem
Rumo ao céu da manhã
Em voo ascensional...

Eis que
Para além dos confins
Dos tetos estrelados,
Sulca, alegremente
A imensidão triunfante,
Lançando em desafio
Seu sorriso tranquilo
E seu olhar ousado.


Marilândia