quarta-feira, 30 de novembro de 2016

MOTE MOTIVO 62




MOTE 62
“AINDA BEM”
Marisa Monte

____________________

MOMENTOS SONHADORES

Em noites de além,
Noites remotas,
Noites da solidão
“Você veio pra ficar”,
Trazendo na carne
O eflorescer das vinhas...

E,
Com prelúdios místicos de salmos,
Tornou-me a vida num crepúsculo sereno
Diante do torpe crocitar do mundo...

Marilândia

SOMBRAS DA ALMA




SOMBRAS DA ALMA
Fosforesce a lua 
Sobre as águas errantes 
De meus íntimos desejos...

Espectros bailarinos
Em noturna travessia 
Resvalam, sorrindo,
Nas divinas claridades...

E
No destemor
Das trevas da noite 
Cantam as horas,
Recepcionando
A visão
Das visões in_definidas...

Marilândia

POEMINI





POEMINI

    Sonhando acordada...
 Róseas fantasias
Marilândia


COSTURANDO POESIA


“Monhas ânsias e apelos
Estremecendo meu corpo inteiro...”
Jô Tauil
______________


Nos ecos dos meus gritos
Ao  fazer parte
Nesse  casamento
Onde reinam intensos ais...

E
Nas agonias do vibrante amor,
Dentre paredes de minh'alma
Arrastam-se dores sem gemidos,
Esculpindo desenhos perdidos na brisa...

Destarte,
Num tempo sem memória
Imperceptíveis melodias
Nas portentosas vozes do vento
Ciciam,
Descendo sobre nós sua cálida penumbra...

Marilândia_




terça-feira, 29 de novembro de 2016

SILÊNCIOS SOLITÁRIOS





SILÊNCIOS SOLITÁRIOS
Sob acordes da alvorada
Nas profusas visões
Dos largos Infinitos,
Minha alma atordoada
À sombra e luz da Natureza,
Peregrina nesses silêncios solitários...
Cálidas e vívidas centelhas
Em sonâmbulo cortejo
Alumiam minhas trevas interiores,
A sorrir, a gemer e a soluçar,
Rasgando portas de melancolias
Que se vão abrindo
Dentre
Sentimentos emergidos no peito amante...
Marilândia




A FÓRMULA DO AMOR





A FÓRMULA DO AMOR
Imaginárias soluções
Sem fronteiras,
Sem dogmas,
Sem códigos,
Sensação de eternidade...
Duas almas,
Dois corações,
Um só destino...

Um adeus!
Adeus à vida!
O mais
É nada!
Marilândia

COSTURANDO POESIA




“E já nem sei para onde foram meus poemas de amor...”
Jô Tauil
___________________

Assim,
Numa estranha saudade choro
No negro bojo da noite,
Sob meus pecados da carne...

E
Nas nódoas que ali se inclinam
Deixo que as cálidas mãos da madrugada
Encontrem o olhar extático da sorridente aurora...

Marilândia

MOTE MOTIVO 62



MOTE MOTIVO 62
“AINDA BEM”
Marisa Monte
_________________

MISTÉRIOS MUDOS
“Agora você chegou
Você que me faz feliz
Você que me faz cantar”

Enquanto
Teus beijos
Lembrando
A saudade de um vinho,
Sanguíneo, púrpuro, ardente,
Teus silêncios encerram,
Em mistérios simples
Que vagam dentro em mim segredando...

Marilândia

segunda-feira, 28 de novembro de 2016

MOTE MOTIVO 62



MOTE 62
“AINDA BEM”
Marisa Monte
_____________________


ÊXTASE SECRETO


Amor foge a normas,
Perde a noção das horas
E
Dentre tantos desvarios,
Numa calma convulsão,
Escravo de fruições efêmeras,
Carrega em si
Somente
O que não pode ser vivido...

Assim,
“O meu coração
Já aposentado
Sem nenhuma ilusão”,
Banhado do orvalho estéril
Das minha agonias,
Que adormecem
Nas visões das auroras geladas,
Na tu’alma se asila,
Vago, indeciso, mudo...

Marilândia

VÍVIDA MENSAGEM



  • MENSAGEM (Casa da Poesia)
    Como que anseios
    In_visíveis, mudos,
    Aprendamos
    A amar
    Os espinhos
    Ou não aceitemos rosas...

    Nossos celestiais balbucios
    Dentre nuvens cinzentas
    Também são parte da paisagem
    Que se descortina
    Ante vagas promessas
    A luzes de neon...

    Por isso,
    Magoados, místicos, serenos,
    Sob luar de lágrimas,
    Nessas tristezas in_certas,
    Vislumbramos nossas almas
    Alagando-se em estranhas agonias,

    Enquanto
    Por melodiosos “blues”
    O uni_verso exala fragrâncias
    De áureas melancolias...

    Marilândia

    MOTE MOTIVO 62




    MOTE 62
    “AINDA BEM”
    Marisa Monte
    _______________


    ENTRE_LINHAS DUM AMOR


    Como
    Amor é estado de graça,
    “Você veio pra ficar
    Você que me faz feliz
    Você que me faz cantar...”

    Envelhecendo
    Para os vãos idílios,
    A beleza do seu vulto,
    Num toque sombrio
    De ironia grave,
    Suspira em mistérios,
    A rasgar peitos
    Dos condenados corações revoltos...

    Enquanto
    Dentre amargo, triste celibato,
    Esconde dolentes devaneios
    Quais estrelas sonhando
    À flor dos lagos...


    Marilândia

    COSTURANDO POESIA




    Vou regando a aridez dos caminhos
    Para que brotem lírios e açucenas...”
    Jô Tauil
    _________________


    Ao sabor de acasos,
    Qual um rasgão na paisagem...

    Porém, 
    No amanhã,
    Numa
    Busca inacabada,
    Sob
    Dolorosa
    E
    Mansa ironia,
    Dentre
    Falsos céus
    E
    Falsas terras,
    Acordei...

    Senti então,
    Que o Tempo passou e com ele, a Vida...

    Marilândia

    APENAS POETA



    APENAS POETA
    Girando
    Ao compasso
    Duma
    Desvairada dança,
    Sob
    Égide de emoções
    E sentimentos,
    Apenas louca,
    Apenas poeta,
    Liberada pelos
    Acordes 
    De uma valsa,
    Transportei-me
    Para 
    Fatais ecos 
    Dum luxurioso Tango...
    Marilândia


    POEMINI




    POEMINI
    Acendendo as trevas
    Corpos em brasa
    Marilândia

    domingo, 27 de novembro de 2016

    MOTE MOTIVO 62



    MOTE MOTIVO  62

    “AINDA BEM”
    Marisa Monte

    _____________________

    REQUINTES ESPIRITUAIS

    Surgiste, talvez,
    Do fundo de umas eras,
    Esmaltando com teu perfil,
    Todo o meu ser...

    “O meu coração
    Já estava acostumado
    Com a solidão”,

    Porém, 
    Tuas  maravilhosas melancolias,
    Dentre silêncio vago,
    Bíblico, pungente,
    Numa auréola in_finita de iluminuras,
    Emanando aroma estranho e belo,
    Relembrou-me mortos encantos...

    Marilândia

    PERDAS E DANOS



    PERDAS E DANOS

    Rasgado
    De ridículos sarcasmos
    No teu perfil
    De estranhos golpes da emboscada,
    Trazendo à tona águas - vivas
    Das procelas...
    E
    Nesses olhos 
    Da impostura,
    Nesses passos eternamente fugidios,
    Deixando ao tempo o golpe de morte,
    Foste tu
    O único culpado...

    Marilândia