terça-feira, 9 de março de 2010

MISTÉRIOS DE ALCOVAS





MISTÉRIOS DE ALCOVAS

Onde estão os beijos que sonhei,
A alcatifa de desejos que apalpei,
As silenciosas veredas que trilhei?

Por onde andarão
Os mudos trechos de minha história,
As dores doídas do meu coração?

O destino espalmado em minhas mãos
Tudo levou...
Todas as ilusões usurpou.

Esperanças tecidas em mistérios de alcovas,
Nos desvarios das madrugadas em languidez,
Fronteiriças barreiras atravessaram.


Mural de segredos tresnoitados
Despiu-se das volúpias,
Embrenhou-se, passos trôpegos,
Nas encruzilhadas da vida.

Peregrino, dia e noite, vagueia sem sentido...




“Tinha no olhar cetíneo, aveludado,
A chama cruel que arrasta os corações,
Os seios rijos eram dois brasões
Onde fulgia o símb'lo do pecado.”

AUGUSTO DOS ANJOS





Marcadores:

1 Comentários:

Às 10 de março de 2010 04:58 , Blogger Juliana Carla disse...

Bom dia Marilândia!

Roubo do passado... Para construir um novo amanhecer... Se hoje tudo acabou... Amanha fartura de amor, desejos, sonhos... Se vaga sem entender... O tempo é mestre! Lhe mostrará o que busca! Só não deixe o obscuro consumir...

Bjuxxx e xerooo amiga

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial