quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

LUARES BALDIOS







LUARES BALDIOS



Sem palavras revelo vãos sentimentos

Nua de emoção relevo vadias frustrações.

Nostálgica, afugento rudes momentos,

Ensandecida, componho mil e uma canções.


Entre trevas e luzes oculto segredos

Deixo entrever desejos escorregadios

Palco deslizante de torpes degredos

Cenário flamejante de luares baldios


Decoro meus sonetos, vagos talentos

Evocando raras ilusões em prelúdios

Volúpia raiando no ocaso dos ventos


Originalidade luzidia, sem par,

Vislumbre divino de ímpetos fugidios

Intimados sem saber o porquê, a esperar.


“Sentir é criar. Sentir é pensar sem ideias, e por isso sentir é compreender, visto que o universo não tem ideias .”

Autor: Pessoa , Fernando

Marcadores:

2 Comentários:

Às 26 de fevereiro de 2010 15:30 , Blogger Graça Tristão disse...

AMIGA MARILÂNDIA GRATA PELA VISITA E COMENTÁRIO... SEU BLOG É LINDO... EMOÇÕES... SENTIMENTOS ACOMPANHAM SEUS BELOS VERSOS!
ESTOU TE SEGUINDO...
PAZ E LUZ
BJCAS
GRAÇA

 
Às 26 de fevereiro de 2010 18:53 , Blogger mochiaro disse...

Parabéns por esse blog e os ensinamentos que dele nos é ofertado
um abraço
mochiaro

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial