quinta-feira, 24 de junho de 2010

ASSASSINATO DE SONHOS





ASSASSINATO DE SONHOS

Não é um definitivo adeus.

Apenas uma partida ,
Sem lágrimas,
Sem risos...

Uma partida com brisa de chegada
Sombras de tênues névoas...

Assassinato de sonhos
Em versos sangra...

Como se fora derradeiro adeus,
Sem uma esperança deixar...






“E as lágrimas que choro, branca e calma,
Ninguém as vê brotar dentro da alma!
Ninguém as vê cair dentro de mim!”

FLORBELA ESPANCA

Marcadores:

2 Comentários:

Às 24 de junho de 2010 16:29 , Blogger SolBarreto disse...

Esses adeus sem lagrimas, sem sorrisos, são os mais doidos, pois ficam guardados no peito, se derramando todos os dias...

 
Às 24 de junho de 2010 17:56 , Blogger Márcia Vilarinho disse...

A vida feita de contrastes como a dor a se desbarrancar em ribanceiras do nosso próprio eu e o amor a nos elevar aos píncaros da felicidade,e, assim, o quente e o frio, a presença e a saudade, em opostos a seguirem até que obtenham o verdadeiro encaixe. Lindo! Bjs.

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial