domingo, 16 de janeiro de 2011

POEMA SEM POESIA (ENSAIO)




POEMA SEM POESIA (ENSAIO)


Nas colmeias- meus olhos de mel- dentre quimeras velejam.
Esgrafiados devaneios - fustigados poemas – sem rimas, sem poesia- pálidos escombros dos ver-sos...
Dentre brumas dos atalhos por onde enveredam , rústicas palavras desdenham...
Rasantes voos – coreografias simbolizando drama e comédia – ondeados arabescos nas travessias emaranhados.

_Vai e vem sem pressa – brisa que oscila – a farfalhar folhas secas na peregrina procissão ...-




Marcadores:

1 Comentários:

Às 16 de janeiro de 2011 11:38 , Blogger Ingrid disse...

e assim o poema se faz poesia..
beijos querida!

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial