segunda-feira, 29 de novembro de 2010

MANTO DO SILÊNCIO (ENSAIO)





MANTO DO SILÊNCIO 





Sinistro branco do jasmineiro em flor agita-se - tela de minhas quimeras...
Revoltadas , silenciosas horas, rendilhado manto estendem – desfolhados lírios em desgrenhada alcatifa ...
Não mais que de repente, murmúrios do luar – clamorosos suspiros...
Silentes e amorosos momentos em véus de névoas esmaecidos...

_Caminhando dentre vielas das des_venturas, tormentoso silêncio – alcunha dos sentimentos meus!!!_




Marilândia


Marcadores:

1 Comentários:

Às 29 de novembro de 2010 03:29 , Blogger Miguel Eduardo Gonçalves disse...

Poeta maiúscula, em MANTO DO SILÊNCIO está a residir o exemplo claro e expresso da tua potencialidade e inteiramente uma veia artística inconfundível. É a tua marca!
Abs., Miguel-

 

Postar um comentário

Assinar Postar comentários [Atom]

<< Página inicial